Vídeo: ESPN homenageia atleta Santo dos Últimos Dias com paralisia

Compartilhe!

Cliff Devries era um atleta de mergulho e tinha planos de competir nas Olimpíadas. Ele foi para a Universidade de Kentucky com uma bolsa de mergulho, mas, no final do primeiro semestre, sentiu uma dor no ombro e não conseguia levantar o braço direito acima de sua cabeça. Devries conviveu com as dores enquanto serviu como missionário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias na Argentina. Ao retornar para casa, fez uma ressonância magnética, no início de 1995.

Quando os resultados dos exames chegaram, seus pais disseram para ele se sentar para receber as más notícias. Ele tinha um tumor de 15 cm na base do tronco cerebral. Os médicos ficaram chocados por ele estar andando e até respirando, e esperavam que ele vivesse menos de um ano. “Cliff, você vai morrer”, disseram eles. “Eu disse: ‘Bem, que melhor hora para ir?’ Acabei de cumprir uma missão fiel e estou muito feliz com o trabalho que fiz na Argentina e estou pronto para partir”, lembrou Devries. “Eu estava em paz com o que aconteceu. Essa foi uma grande ajuda no processo”.

Ele passou por uma cirurgia para remover o tumor. O procedimento salvou sua vida, mas o deixou em uma cadeira de rodas, completamente paralisado do pescoço para baixo. Ele disse que sua fé foi uma das principais fontes de força nos anos seguintes à cirurgia. “Eu não conseguia me mexer”, disse Devries. “Recebi uma bênção do sacerdócio. Tenho uma família maravilhosa e uma ala que me apoiava. Nunca me senti sozinho. Senti o Espírito em minha vida durante toda esta provação. Fui extremamente abençoado. Minha fé no Salvador Jesus Cristo tem sido uma importante fonte de ajuda durante todo o tempo da minha paralisia.”

Depois de alguns anos, Devries recuperou os movimentos do lado esquerdo e conseguiu andar. Ele decidiu que era hora de voltar ao trampolim. Naquela época, enquanto fazia fisioterapia, o treinador de natação perguntou se ele poderia ser um treinador de mergulho, o que ele faz desde 1999. Casado e pai de quatro filhos (três do primeiro casamento de sua esposa, que ele considera como seus), Devries é um destro natural e teve que reaprender as habilidades mais básicas da vida como canhoto – escovar os dentes, amarrar o tênis, escrever e comer.

Há dez anos, Cliff Devries iniciou uma tradição: ele faz um mergulho para comemorar seu aniversário, em 30 de outubro. “Eles me disseram após a cirurgia: ‘Você não vai poder andar'”, disse ele. “Mas consegui mexer o dedão do pé, então pensei que, se conseguia mexer o dedão do pé, seria capaz de fazer mais alguma coisa. Então eu me levantei e, se eu podia fazer isso, eu poderia dar um passo, então eu fiz. Eles disseram que eu não seria capaz de andar mais de trinta metros, porque meu lado direito se foi, metade do meu pulmão se foi, nada do lado direito funciona. Agora estou andando, realizando eventos de mergulho o dia inteiro e administrando um dos melhores clubes de mergulho do país.”

Devries diz que sua fé continua a sustentá-lo. “Ter um testemunho é a coisa mais importante que você pode ter, porque em um momento ou outro de sua vida tudo pode desmoronar e é o seu testemunho que o mantém firme”, disse ele.

Fonte: LDS Living

Siga-me!

Antonio Carlos Lima

Antonio Carlos Lima é um membro da Igreja há 35 anos. Mora em Aracaju/SE. Serviu na Missão Brasil Brasília, de 1991 a 1993. É casado, pai e avô.
Siga-me!

Compartilhe!