Política, leis e sistemas de governo

Compartilhe!

Sempre houve muita curiosidade das pessoas em saber qual o posicionamento político da Igreja. Aqui no Brasil, estamos em plena campanha eleitoral e, em uma época em que vemos política e religião misturarem-se tão facilmente, gostaria de transcrever algumas citações de Autoridades Gerais da Igreja, sobre este tema.

De antemão, deixo claro que a Igreja jamais se envolveu em questões político-eleitorais, mesmo quando seus membros decidem tomar parte neste processo. Esta postura da Igreja não deve ser entendida como qualquer tipo de aversão à política, porém, trata-se de uma posição estratégica da Igreja, que ajuda a mantê-la livre, independente e isenta.

Há diversos membros da Igreja que são candidatos nestas eleições, porém, ninguém é orientado pela Igreja ou seus líderes sobre a obrigação de votar nestes membros. Se assim, fosse, estaria configurado o curral eleitoral, prática absolutamente contrária ao princípio do livre-arbítrio. Os membros da Igreja são orientados a prestarem atenção aos candidatos e suas propostas, ponderarem, e orarem a fim de tomarem uma decisão sábia sobre quem deverão escolher como seus representantes e governantes.

Participar ativamente na sociedade

“Instamos vigorosamente os homens e as mulheres a estarem dispostos a prestar serviço trabalhando nas juntas de educação, nas comissões regionais e municipais, no legislativo estadual e em outros cargos importantes, sejam eles eletivos ou preenchidos por indicação.” Carta da Primeira Presidência, 15 de janeiro de 1998

“Embora eu negue enfaticamente que exista qualquer envolvimento, no caso dos santos dos últimos dias entre Igreja e Estado — como acham algumas pessoas — não nego por um único instante que, como membro desta Igreja, se eu tiver qualquer poder ou influência para ajudar o melhor homem a chegar ao poder para servir o povo, exercerei tal poder enquanto viver.” Heber J. Grant, Gospel Standards, pp. 125–126

“Um bom santo dos últimos dias é um bom cidadão em todos os aspectos. Quero dizer aos jovens de nossa comunidade: Sejam santos dos últimos dias exemplares, e não permitam que nada os impeça de aspirar aos grandes cargos que nossa nação tem a oferecer. Depois de conseguir um cargo, façam com que sua virtude, sua integridade, sua honestidade, sua capacidade, seus ensinamentos religiosos, que foram colocados em seu coração em sua infância por devotadas mães ‘mórmons’, “assim resplandeça a [sua] luz diante dos homens, para que vejam as [suas] obras e glorifiquem a [seu] Pai, que está nos céus”. [Mateus 5:16]” Joseph F. Smith, “Editor’s Table: Congress and the ‘Mormons’”, Improvement Era, abril de 1903, p. 473

“Na Igreja, muitas vezes citamos a frase ‘estar no mundo, mas não ser do mundo’. Talvez devêssemos citá-la como duas advertências distintas. Primeiro: ‘Estejam no mundo’. Envolvam-se; Informem-se; Tentem ser compreensivos, tolerantes e gostar da diversidade. Façam contribuições significativas à sociedade, prestando serviço e participando significativamente. Segundo: ‘Não sejam do mundo’. Não sigam os maus caminhos nem se dobre, para adaptarem-se ao que não seja certo ou para aceitarem essas coisas. Os membros da Igreja precisam influenciar mais e ser menos influenciados. Temos de empenhar-nos em reverter a maré do pecado e do mal, em vez de, passivamente, deixar-nos ser levados por ela. Todos precisam ajudar a resolver o problema em vez de esquivarem-se dele ou ignorarem-no.” M. Russel Ballard, Conference Report, abril de 1989, pp. 100-101

Escolher corretamente os líderes governamentais

“O povo deve concentrar seus sentimentos, sua influência e sua fé para escolher o melhor homem que puder encontrar para ser o presidente, mesmo que ele não tenha mais do que batatas com sal para comer. Que seja um homem que não aspire tornar-se maior do que o povo que o elegeu, mas que se contente em viver como o povo e vestir-se como o povo e, em todas as coisas louváveis, ser um com o povo.” Brigham Young, Discursos de Brigham Young, p. 363

“Queremos homens para governantes desta nação que se preocupem mais com o bem-estar do país e o amem mais do que o ouro, a prata, a fama e a popularidade.” Brigham Young, Discursos de Brigham Young, p. 364

“Somos um povo político? Sim, muito político. Mas a que partido vocês pertencem ou em quem votariam? Eu lhes direi em quem votaremos: votaremos no homem que apóie os princípios de liberdade civil e religiosa, no que tiver maior conhecimento e que tiver o melhor coração e cérebro para ser um estadista. Pouco nos importa se ele é um liberal-conservador, um democrata, (…) um republicano, (…) ou qualquer outra coisa. Essa é nossa política.” Brigham Young, Discursos de Brigham Young, p. 358

“As leis promulgadas para a proteção da sociedade só têm valor quando administradas em retidão e justiça e elas não podem ser administradas em retidão e justiça quando homens desonestos ocupam os cargos administrativos. Devem ser encontrados homens sábios, homens justos e patriotas em todas as comunidades, em todos os partidos políticos, em todos os credos. Ninguém, exceto tais homens, devem ser escolhidos…” Declaração da Primeira Presidência, Conference Report, outubro de 1928, p. 16

Obedecer à lei e promover a ordem

“Ensinem seus filhos a honrar a lei de Deus, a lei do estado e a lei do país. Ensinem seus filhos a respeitar e honrar os que foram escolhidos pelo povo para governá-los, exercer a justiça e ministrar a lei. Ensinem seus filhos a ser leais a seu país, leais à retidão, à justiça e à honra; e assim eles crescerão para se tornarem os melhores homens e mulheres do mundo.” Joseph F. Smith, Messages of the First Presidency, 5:55

“Nenhum ser está preparado para reinar, governar e dirigir até que (…) tenha prestado obediência à lei e provado ser digno, por ter honrado a lei a que estava sujeito, de ser senhor daquela lei.” Brigham Young, Discursos de Brigham Young, p. 357

“Nenhuma pessoa cujo modo de viver esteja em oposição á estabelecida ordem de decência e obediência à lei, poderá ser considerada um membro digno da Igreja. Não é possível estar-se em oposição à lei e, ao mesmo tempo, em harmonia com o Senhor.” Joseph Fielding Smith, Conference Report, abril de 1971, pp. 166-167

“Existem muitos que questionam (…) certas leis decretadas pelos respectivos governos…; Eles chegam a desafiá-las e desobedecem a elas. Abraão Lincoln observou: ‘Leis ruins, se é que existem, devem ser logo repelidas, porque, enquanto estiverem em vigor, devem ser religiosamente cumpridas.’ Esta é a posição da Igreja com relação ao cumprimento da lei… Não há motivo ou justificativa para que o homem desobedeça á lei ou a desrespeite.” N. Eldon Tanner, A Liahona, fevereiro de 1976, p. 74

“Se os homens serão trazidos ao tribunal do julgamento devido a cada um de seus atos secretos, quanto mais os Administradores terão que prestar contas de seus atos públicos perante Deus e do santo sacerdócio.” John Taylor,Journal of Discourses, vol. 20, pp. 42-43

O papel da Igreja e do Estado

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias segue a doutrina da separação entre a igreja e o estado. A Igreja não interfere nas funções do estado; o estado não interfere nas funções da Igreja ou no exercício da liberdade de religião. O indivíduo está completamente livre do domínio eclesiástico em relação aos assuntos políticos.Todas as igrejas são iguais perante a lei.” Joseph F. Smith, Messages of the First Presidency, 4:153

“A Igreja não se envolve em política; seus membros podem pertencer ao partido político que decidirem seguir. (…) Não lhes é pedido, muito menos exigido, que votem dessa ou daquela maneira. (…) Mas não é justo que lhes sejam negados seus direitos como cidadãos, e não há motivo pelo qual o sejam, pois, em geral, eles são tão leais, sensatos, educados, honestos, trabalhadores, virtuosos, moralmente corretos, econômicos e dignos quanto qualquer pessoa deste país ou da Terra, em todos os aspectos.” Joseph F. Smith, “Editor’s Table:The Probable Cause”, Improvement Era, junho de 1903, p. 626

Liberdade

“Nos impróprios antagonismos pessoais que se desenvolvem como consequência das controvérsias políticas, vemos uma ameaça a nossa unidade. Mesmo quando a igreja se reserva o direito de apoiar princípios de bom governo, salientando a equidade, justiça e liberdade, integridade política dos oficiais, a participação ativa de seus membros e o cumprimento de suas obrigações em assuntos cívicos, não exerce compulsão alguma na liberdade que tem o indivíduo de fazer sua própria escolha e determinar sua afiliação… O homem que expressar o contrário o faz sem autoridade, e certamente, sem justificação.” Presidente Stephen L. Richards, Conference Report, outubro de 1951, pp. 114-115

A atitude esperada dos Santos dos Últimos Dias

“Por favor, cumpri vossos deveres de cidadãos em vossas comunidades, estados e nações. Prestigiai e apoiai a lei. Trabalhai dentro dos limites da lei para serdes uma influência benéfica, conforme o Profeta Joseph Smith nos recomendou. Evitai, por favor, envolver a Igreja em questões políticas, mesmo que seja por implicação. É tão fácil, se não tivermos cuidado, projetar nossas preferências pessoais quanto a determinado assunto como se fossem posição da Igreja.” Spencer W. Kimball, A Liahona, Agosto de 1976

“Caso haja alguma coisa relativa ao governo das nações ou, em outras palavras, à política, que não conheçamos, desejamos aprendê-la.” John Taylor, The Gospel Kingdom, p. 48–49

Formas de governo

“Assisti a uma… dissertação feita pelo Sr. Finch, acerca do socialismo, e chegando ele ao término, (…) Declarei que não acreditava naquela doutrina.” History af the Church , 6:33

“A conspiração secreta mundial que tem aumentado em nossos dias – para cumprir essas profecias – é facilmente identificada. O Presidente McKay não deixou margem para dúvidas quanto à atitude que os Santos dos Últimos Dias devem ter para as modernas “combinações secretas” do comunismo conspiratório. Em uma longa declaração sobre o comunismo, ele disse: ‘… Os Santos dos Últimos Dias não devem ter nada a ver com as combinações secretas e grupos antagônicos à lei constitucional da terra que o Senhor estabeleceu, e que ‘deve ser mantida para a proteção dos direitos de toda a carne de acordo com princípios justos e santos.’ (Gospel Ideals, de David O. McKay p. 306)” Ezra Taft Benson, Conference Report, October 1961, pp. 69–72

“A posição da Igreja sobre o tema do comunismo nunca mudou. Nós o consideramos a maior ameaça satânica à paz, prosperidade e à propagação da obra de Deus entre os homens, que existe na face da terra.” David O. McKay, Conference Report, April 1966, pp. 109–110

“A anarquia é a pior forma de governo? Não: a anarquia é a falta total de governo; ela é o contrário da ordem; é o cúmulo da confusão; é o resultado da liberdade descontrolada; a antítese da verdadeira liberdade. (…) Até mesmo o monopólio da monarquia, ou o da aristocracia, ou a incompetência de uma república, é melhor do que não ter espécie alguma de governo. A opressão de um rei é mais suportável que a de uma turba, onde cada homem é para si mesmo a lei e tem o poder de impor a sua própria vontade.” Erastus Snow, Journal of Discourses, vol. 22, p. 151

“O comunismo é a maior potência anti-Cristo no mundo de hoje e, portanto, a maior ameaça não só para a nossa paz, mas para a nossa preservação como um povo livre. A medida em que nós tolerarmos isso, acomodar-nos com ele, permitir-nos ser cercados por seus tentáculos e atraídos para ele, é a mesma medida em que perderemos a proteção do Deus da terra.” Marion G. Romney, “America’s Promise,” Ensign, setembro de 1979, p. 5

“Nós condenamos o que homens com ímpios desígnios estão planejando agora, ou seja: o estabelecimento e perpetuação em todo o mundo de alguma forma de comunismo, de um lado, ou de alguma forma de nazismo ou fascismo, do outro. Cada um desses sistemas destrói a liberdade, apaga as instituições livres, apaga o arbítrio, sufoca a imprensa livre e a liberdade de expressão, esmaga a liberdade religiosa e de consciência. Os povos livres não podem e não sobrevivem sob estes sistemas.” Primeira Presidência, Conference Report, outubro de 1942, p. 15

“Nossos verdadeiros inimigos são o comunismo e o seu companheiro de chapa, o socialismo… E nunca se esqueça por um momento que o comunismo e o socialismo são a escravidão estatal.” J. Reuben Clark, Jr., Deseret News, “Church Section,” 25 de setembro de 1949, pp. 2, 15

“Nossa família pode ser corrompida pelas tendências e ensinamentos mundanos a menos que saibamos como usar o [Livro de Mórmon] para expor e combater as mentiras do socialismo, a evolução biológica, o racionalismo, o humanismo, e assim por diante.” Ezra Taft Benson, A Witness and a Warning, 1988, p. 6

“Basicamente, o comunismo é uma forma de falsa religião; é uma das maiores divisões da igreja do diabo. Nega a Deus e a Cristo; desdenha da cristandade; renega as normas morais e éticas da religião e a decência; nega o livre arbítrio ao homem; ele tira seus direitos inalienáveis; e rebaixa o indivíduo e seu bem-estar a uma massa adequada ao estado. (…) É, portanto, uma ditadura do tipo mais severo e rude existente. A posição da Igreja com respeito ao comunismo está expressa na seguinte declaração da Primeira Presidência: ‘Lamentamos saber, por fontes verdadeiras do governo e outros, que uns poucos membros da Igreja estão-se unindo direta ou indiretamente ao comunismo e estão tomando parte em suas atividades. A Igreja não interfere, e não tem a intenção de interferir, com o livre exercício político de seus membros (…). Porém o comunismo não é um partido político nem um plano político segundo a Constituição; é um sistema de governo oposto ao nosso governo Constitucional (…). Aos nossos membros da Igreja dizemos: O comunismo não é a Ordem Unida, e tem com ela somente uma semelhança superficial; o comunismo está baseado na intolerância e força; a Ordem Unida sobre o amor e a liberdade de amor e consciência; o comunismo envolve despojo forçado e confisco; a Ordem Unida, consagração voluntária e sacrifício. (…) O comunismo… é incompatível com a afiliação à verdadeira Igreja, portanto… nenhum membro fiel da igreja pode ser comunista. Pedimos a todos os membros da Igreja que evitem o comunismo completamente.’” Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, (citando Improvement Era, vol. 39, pág. 488)

“Banir, aprisionar, pilhar, passar fome, enforcar, e queimar homens por religião, não é o Evangelho de Cristo, mas a política do demônio. Cristo jamais usou qualquer coisa que se parecesse com a força, com excessão de uma vez, que foi para expulsar os mercado­res para fora do templo e não para fazê-los entrar”. David O. McKay, Ancient Apostles, 1964

“O homem tem três grandes direitos, igualmente sagrados, que não podem sofrer interferência arbitrária: o direito à vida, o direito à liberdade, e o direito à sua propriedade. Os três direitos acham-se tão interligados, que se constituem, essencialmente, num só direito. Dar ao homem a vida, mas negar-lhe a liberdade, é tirar dele tudo o que faz a existência digna de ser vivida. Dar-lhe a liberdade, mas tirar-lhe a propriedade, que é o fruto e o símbolo da primeira, é ainda fazer dele um escravo.” George Sutherland (citado por David O. McKay em Conference Report, outubro de 1962, p. 6)

“Estamos vivendo tempos difíceis – conflitos internacionais são iminentes – “Nação se levantando contra Nação” para a supremacia e a existência. Governos civilizados são ameaçados por destrutivos organismos internos formados no Comunismo. Esta organização secreta assume diferentes nomes e formas. É o Comunismo na França, o Socialismo na Alemanha, Internacionalismo na Espanha e Itália, o Niilismo na Rússia, e sentimentos semelhantes e os princípios são revestidos com uma variedade de títulos nos Estados Unidos e Grã-Bretanha. Todas estas organizações se opõem ao espírito de todas as restrições da lei e da ordem. Agora, deixe-me chamar a atenção para o fato de que em fevereiro de 1831, Joseph Smith recebeu uma revelação sobre este assunto, que, sem dúvida, muitos de vocês estão familiarizados com. Também é feita referência no mesmo sentido no Livro de Mórmon. Secularismo e infidelidade estão varrendo o mundo, milhões se entregam em todo tipo de iniqüidade. A criminalidade está aumentando com tal rapidez que as grandes cidades do mundo acham quase impossível lidar com ela. Eu sei que é mais fácil apontar os males que destruí-los. Eu sei que será necessário o esforço conjunto de cidadãos honestos, patriotas, que amam a liberdade, para enfrentar a situação. As igrejas devem desempenhar um papel importante. A Igreja de Jesus Cristo nunca cessou a sua oposição a essas organizações, como já me referi e nunca cessará.” Reed Smoot, Conference Report, abril de 1933, p. 20

“O antigo profeta americano Morôni viu os nossos dias. Quem pode duvidar de que ele tinha em mente os males do comunismo ateu, quando deu este aviso solene: ‘Portanto, ó gentios, é sabedoria de Deus que estas coisas vos sejam mostradas, a fim de que, por meio delas, vos arrependais de vossos pecados e não permitais que vos dominem essas combinações assassinas, instituídas para a obtenção de poder e lucro – e a obra, sim, a obra de destruição vos sobrevenha; sim, a espada da justiça do Deus Eterno cairá sobre vós para vossa ruína e destruição, se permitirdes que estas coisas aconteçam. Portanto o Senhor vos ordena que quando virdes essas coisas surgirem entre vós, estejais conscientes de vossa terrível situação por causa desta combinação secreta que existirá entre vós; ou ai dela, em virtude do sangue daqueles que foram mortos; porque eles clamam desde o pó por vingança contra ela e contra os que a instituíram. Pois acontece que quem a institui visa destruir a liberdade de todas as terras, nações e países; e causa a destruição de todos os povos, pois é instituída pelo diabo, que é o pai de todas as mentiras; o mesmo mentiroso que enganou nossos primeiros pais, sim, o mesmo mentiroso que fez com que o homem cometesse assassinatos desde o princípio; que endureceu o coração dos homens a tal ponto que mataram os profetas e apedrejaram-nos e expulsaram-nos desde o princípio’ (Éter 8:23-25). Nós somos claramente justificados em afirmar que devemos considerar qualquer tentativa por parte dos comunistas para estender seu sistema em qualquer parte deste hemisfério como perigosa para a nossa paz e segurança. Ezra Taft Benson, Conference Report, outubro de 1960, p. 104

“A ameaça do comunismo é muito real. A ameaça do socialismo é ainda mais real. O comunismo é mais do que um sistema econômico. É uma filosofia de vida, ateu e totalmente oposta a tudo o que nos é caro (…). Não é verdade que um Santo dos Últimos Dias pode ser um comunista ou um socialista, porque os princípios comunistas são contrários à palavra revelada de Deus …).” Ezra Taft Benson, BYU Speeches of the Year, 24 de maio de 1961, pp. 10—11

Siga-me!
Últimos posts por Antonio Carlos Lima (exibir todos)

Compartilhe!