Ódio, o pior dos sentimentos!

Compartilhe!

O ódio é o pior dos sentimentos. A destruição causada, especialmente naquele que alimenta tal sentimento é tão devastadora que muitos perdem a sensibilidade a todo tipo de afeto. Seu único objetivo é o sofrimento daquele que julga ser seu algoz.

Durante muitos séculos Nefitas e Lamanitas travaram batalhas, as quais dizimaram milhares de vidas, em virtude de um ódio oriundo de ensinamentos dissimulados com o único objetivo de encobrir a desobediência e falta de fé de Lamã e Lemuel e seu ódio por seus irmãos Sam e Néfi.

Uma história real de sofrimento marcada por massacres, na qual o ódio transformou os Lamanitas em selvagens, um povo repulsivo, ocioso e cruel. O desejo de vingança os levou a um estado de total afastamento da civilização, subjugando sua descendência a viver uma profunda escuridão cultural e religiosa alimentada pela mentira, criada com o objetivo de formar seguidores na intenção de demonizar o seu adversário e se vitimizar como os injustiçados.

E pensar que esse sentimento tão destrutivo ainda se reflete em nossos dias através da intolerância, falta de respeito, falta de amor, arrogância, superioridade, discriminação e decadência moral!

Aqueles que sofrem esse tipo de e violência acabam sendo excluídos ou excluindo seus opositores pelo medo ou por proteção e, de forma natural e humana, através da autodefesa, buscam meios de não ser violentados por esses que alimentam tão vil sentimento.

Os meios de comunicação, jornais e internet, têm colaborado com esse tipo de sentimento ao criar informações de preconceitos entre grupos e fazer com que indivíduos, especialmente os mais jovens, discutam diferentes assuntos, muitas vezes levando a um grau de confronto que os induz ao ódio e desejo destrutivo de vingança e humilhação do seu oponente.

A ciência não tem um método para erradicar esse sentimento, tão complexa é a raiz desse mal, que se torna impossível alterá-lo por completo. Mas é possível transformar aqueles que em seu íntimo nutrem um bom sentimento. A história mostra que grupos daqueles que chamamos de Lamanitas, foram transformados pelo amor, a única fonte de combate ao ódio. O seu desejo de mudança foi tão real que depositaram suas armas e fizeram convênio de nunca mais lutar contra seus irmãos, ao ponto de preferir morrer a ter que matar um dos seus.

É possível, sim, vencer o ódio! O amor é a fonte da transformação! Vidas podem ser mudadas, indivíduos resgatados, civilizações reconstruídas. Nunca é tarde para mudar, mas exige um esforço, uma luta individual impulsionada pela esperança de poder vencer o desespero e vazio que vem do ódio.

Davi Santos
Últimos posts por Davi Santos (exibir todos)

Compartilhe!