O que podemos aprender com o Livro de Mórmon?

Compartilhe!

Enviado por Luiz Polito, de Bauru, São Paulo

Aceito como Escritura pelos Santos dos Últimos Dias, o Livro de Mórmon, embora rejeitado por pessoas de outras denominações religiosas, é, sem dúvida, uma maravilhosa obra literária, com ensinamentos valiosos para todos os que o lerem e aplicarem os seus ensinamentos!

Eu vi o Livro de Mórmon pela primeira vez em 1977, largado num banco de uma capela por seu antigo dono (que até hoje não sei quem era). Perguntei para a Élida, uma amiga membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que estava sentada ao meu lado, numa noite de fevereiro de 1977, enquanto eu esperava chegar os integrantes do grupo de teatro do qual eu fazia parte: “Que livro é esse?” Após a Élida me dizer que era o Livro de Mórmon, ela perguntou se eu queria levar o livro para minha casa, para que eu pudesse lê-lo, o que eu fiz.

Naqueles dias, nós, alguns jovens não membros da Igreja, ensaiávamos uma peça de teatro chamada “Turíbio, o 39 da Oitava (Companhia)” no salão de festas da Igreja, cujo o palco havia sido cedido gratuitamente para nós para ensaios, pelo então Presidente do Ramo Bauru, Guilherme.

A gente ensaiava umas duas vezes por semana, e o grupo acabou se desfazendo aos poucos, e não deu em nada, mas foi dessa forma que eu tomei conhecimento da Igreja e do Livro de Mórmon.

Eu estava pesquisando muito sobre religião e já tinha estudado muito material da Igreja Adventista, Testemunhas de Jeová e Seicho-no-Iê. Como um tradicional católico, na época, eu conhecia o básico da Igreja Católica Romana e havia lido livros sobre santos católicos, tais como Santo Agostinho, Santo Antão, São Franciso de Assis e outros.

O Livro de Mórmon me impressionou muito logo no início, com suas afirmações sobre anjos que visitaram a Terra no século XIX, placas de ouro com registros antigos e a história de um jovem fazendeiro, Joseph Smith Jr, que, aos 14 anos, teve experiências espirituais surpreendentes, uma epifania que viria a ser a origem de uma Igreja que hoje tem mais de 16 milhões de membros ao redor do mundo e presta muitos serviços humanitários, além de ser uma referência mundial em genealogia.

O que é o Livro de Mórmon

Conforme está estampado em sua capa, o Livro de Mórmon afirma ser um “Outro Testemunho de Jesus Cristo”, ou seja, uma testemunha a mais, além da Bíblia Sagrada, da divindade do Senhor e Salvador da humanidade, Jesus Cristo. Em seu frontispício, o Livro de Mórmon afirma ser “o relato escrito pela mão de Mórmon em placas” de metal, contendo um “registro do povo de Néfi e também dos lamanitas”. Destina-se a ser lido pelos gentios, lamanitas (que são “um remanescente da casa de Israel”) e também pelos judeus. Seu objetivo principal é mostrar a todos que Jesus é o Cristo, o Salvador, e prestar testemunho dos Seus ensinamentos e mostrar a todos quantas coisas maravilhosas Jesus Cristo criou e fez em benefício de todos os homens. O Livro de Mórmon também narra a visita de Jesus Cristo, após Sua ressurreição, ao povo de Néfi, que habitava algum ponto das Américas antigas.

A primeira edição do Livro de Mórmon foi publicada em 1830, em Palmyra, Nova York. Desde então, tem sido traduzido do inglês para mais de uma centena de idiomas.

Missionários da Igreja ao redor do mundo ensinam sobre o Livro de Mórmon a todos os interessados.

Também é possível pedir uma cópia gratuita ou baixar o Livro de Mórmon para o seu celular ou notebook. Essa é uma das melhores maneiras de ler e conhecer o livro todo, e aproveitar seus ensinamentos para a sua vida, seja você um membro da Igreja ou não. Todos podem se beneficiar com a leitura desse grande livro. Peça agora uma cópia do Livro de Mórmon gratuitamente!

Uma das 5 mil cópias da primeira edição do Livro de Mórmon

Alguns ensinamentos surpreendentes do Livro de Mórmon

Embora tenha sido publicado há mais de 180 anos, traduzido de placas de ouro que datavam de mais de 1.600 anos, os ensinamentos do Livro de Mórmon são surpreendentemente atuais. A seguir, veremos alguns desses ensinamentos.

  • Muitas igrejas surgiriam nos “últimos dias”, isto é, no tempo próximo à Segunda Vinda do Salvador

“Pois acontecerá nesse dia que as igrejas que forem estabelecidas, mas não para o Senhor, dirão umas às outras: Eis que eu, eu sou a do Senhor! E as outras dirão: Eu, eu sou a do Senhor! E assim dirão todos os que estabelecerem igrejas, mas não para o Senhor — E contenderão umas com as outras; e seus sacerdotes contenderão uns com os outros e ensinarão com o seu saber e negarão o Espírito Santo, o qual inspira o que dizer. E negam o poder de Deus, o Santo de Israel, e dizem ao povo: Escutai-nos e ouvi os nossos preceitos, pois eis que hoje não há Deus, porque o Senhor e Redentor acabou a sua obra e deu o seu poder aos homens.” (2 Néfi 28:3-5)

  • Líderes importantes, pessoas famosas e falsos profetas ensinarão todo tipo de mentiras

“Sim, e haverá muitos que dirão: Comei, bebei e alegrai-vos, porque amanhã morreremos; e tudo nos irá bem. E muitos também dirão: Comei, bebei e diverti-vos; não obstante, temei a Deus — ele justificará a prática de pequenos pecados; sim, menti um pouco, aproveitai-vos de alguém por causa de suas palavras, abri uma cova para o vosso vizinho; não há mal nisso. E fazei todas estas coisas, porque amanhã morreremos; e se acontecer de sermos culpados, Deus nos castigará com uns poucos açoites e, ao fim, seremos salvos no reino de Deus. Sim, e haverá muitos que ensinarão desta maneira doutrinas falsas, vãs e tolas; e encherão o coração de orgulho e procurarão esconder profundamente do Senhor os seus desígnios secretos; e farão as suas obras às escuras.” (2 Néfi 28:7-9)

  • A crença num diabo real será ridicularizada. As pessoas serão enganadas.

“Pois eis que nesse dia ele se enfurecerá no coração dos filhos dos homens e incitá-los-á a irarem-se contra o que é bom. E a outros pacificará e acalentará com segurança carnal, de modo que dirão: Tudo vai bem em Sião; sim, Sião prospera. Tudo vai bem — e assim o diabo engana suas almas e os conduz cuidadosamente ao inferno. E eis que a outros ele lisonjeia, dizendo-lhes que não há inferno; e diz: Eu não sou o diabo, porque ele não existe — e assim lhes sussurra aos ouvidos até agarrá-los com suas terríveis correntes, das quais não há libertação. Sim, são agarrados pela morte e pelo inferno; e a morte e o inferno e o diabo e todos os que assim foram dominados deverão apresentar-se diante do trono de Deus e ser julgados de acordo com suas obras; daí deverão ir para o lugar preparado para eles, um lago de fogo e enxofre que é tormento sem fim.” (2 Néfi 28:20-23)

Essas palavras não soam estranhamente atuais? Não vemos essas coisas acontecerem hoje em dia ou serem ensinadas por pessoas importantes no Brasil e no mundo?

Como um livreiro, passam por minhas mãos milhares de livros, didáticos, religiosos, filosóficos, esotéricos e de tudo quanto é assunto.

O Livro de Mórmon, porém, continua sendo, mesmo depois de várias décadas, um dos livros que mais me ensinaram e impressionaram, assim como também me ensinou muito a leitura da Bíblia Sagrada.

Com a acessibilidade da Internet, qualquer pessoa pode ler o Livro de Mórmon e conhecer por si mesmo suas histórias e seus ensinamentos, sem serem enganadas por fake news a respeito dele. Cada um de nós deve aprender a buscar respostas para as nossas indagações diretamente ao Pai Celestial e não confiar cegamente em ninguém, porque o ser humano é falho e pode nos desviar dos verdadeiros caminhos que nos levarão de volta a Ele.


Compartilhe!
Rolar para o topo