Élder Jeffrey R. Holland aconselha casais peruanos com até dez anos de casamento

Compartilhe!

O Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze, e sua esposa, irmã Patricia Holland, falaram em um devocional especial para casais com até dez anos de casamento, no Peru, na noite do dia 21 de janeiro de 2020.

“Falar sobre a família e sobre o casamento é falar sobre uma das coisas mais importantes do evangelho”, disse o Élder Holland. Ele mencionou ter ouvido pessoas afirmarem que somos uma “Igreja de famílias”, que fazemos oração familiar, noite familiar, leitura de escrituras em família e temos muitos filhos. Élder Holland disse que não sabe se existirão alas e estacas no céu, mas que já foi revelado que a organização do céu é familiar. “Todo o propósito dos templos é unir as famílias”, disse ele, que ensinou também que a família é o meio, nesta vida, de sermos treinados para nos tornarmos Deuses e Deusas na eternidade. A família tem um destino eterno e vale a pena o esforço para mantê-la, completou.

Élder Holland disse que a paciência é uma virtude que não é suficientemente valorizada e que é a solução para muitos problemas. Paciência conosco, com o cônjuge e com os filhos. Ele salientou que a palavra que sai muito rápido de nossos lábios, sem pensar, sem esperar, pode trazer problemas. Na maioria das vezes, os problemas são coisas da própria vida, que passam, ensinou.

O Apóstolo falou sobre o desejo dos jovens casais em alcançarem logo realizações que seus pais somente obtiveram após 30 ou 40 anos de casamento e trabalho. Ele disse que os casais jovens devem ter expectativas mais realistas, e que ele e sua esposa começaram a vida de casados ​​sem ter nenhum bem material, mas com expectativas corretas, conseguindo as coisas ao longo dos anos. Ele citou que, se sua esposa tivesse reclamado pela falta de dinheiro, com expectativas acima do que ele podia dar, isso teria arruinado o seu casamento e a ele próprio, pois ele teria se sentido diminuído, incapaz, mas ele nunca se sentiu assim, porque ela nunca agiu dessa maneira.

O Élder Holland também ensinou que é mais importante dar importância e atenção ao casal do que qualquer outra ação. Ele lembrou os desafios de uma vida conjugal repleta de responsabilidades, como estudos, trabalho e o serviço nos chamados na Igreja, lembrando que, no início de seu casamento, ele tinha pouco tempo para dedicar à esposa, mas lutava para ter pelo menos uma noite na semana para passar um tempo com ela. Naquela noite, não fazia nada de trabalho, estudo ou chamado eclesiástico, e conseguiam alguém para ficar com as crianças. Como não tinham dinheiro, comiam algo simples. Ele disse que ficava com vergonha de não poder levá-la a um restaurante, mas que ela lhe disse que não se importava com a comida ou com o lugar, mas que queria estar com ele.

Élder Holland disse que a fé sempre aponta para o futuro e os casais não devem viver no passado. Ele ensinou que o pior que pode haver em um casamento é, quando há um problema ou situação difícil, um cônjuge lembrar de algo do passado e ferir o outro com isso. “Deixem o passado no passado”, disse ele. “Qualquer coisa que tenha acontecido no passado já foi suficientemente difícil naquele momento. Porque revivê-la, revivê-la e revivê-la? Em vez de lutar somente uma vez com o problema, porque lutar dez vezes? A vida é muito curta para isso”, completou.

“Não tenham medo de ter filhos”, ensinou o Élder Holland. Ele disse que os números de casamentos e de nascimentos de crianças estão caindo em todo o mundo e, infelizmente, também na Igreja. “Em muitas coisas, estamos em um nível acima que o mundo, porém, neste assunto, estamos nos igualando ao mundo”, alertou. “Os filhos são uma bênção de Deus para toda a eternidade. Sintam-se totalmente confiáveis e totalmente preparados para terem os filhos que Deus lhes enviar. Não se preocupem – pelas razões que temos explicado – com o dinheiro, com a educação, com uma casa. Tenham e amem seus filhos por toda a eternidade’, finalizou.

A irmã Holland mencionou que tem um casamento maravilhoso e que uma das coisas que ela aprendeu a desenvolver é o atributo da paciência. Ela mencionou que a paciência é um dos atributos mais importantes, especialmente nos primeiros anos de casamento. “Certamente eu não era perfeita quando me casei com meu marido e eu não me casei com um Apóstolo, eu me casei com um jovem que ainda não havia terminado seus estudos”, disse ela. “Crescemos juntos quando ouvimos o Espírito Santo através da oração. (…) Leva tempo (…), mas nos é prometido que Deus nos ajudará no processo”, completou.

Ela aconselhou as irmãs a serem pacientes com seus cônjuges e também consigo mesmas. Ela ressaltou que as mulheres costumam exigir demais de si mesmas, mas que não devem se comparar com o mundo. Irmã Holland disse que, às vezes, as mulheres querem ter um corpo perfeito, um cabelo perfeito, a imagem apresentada pela televisão, mas que estas coisas não são importantes.

A irmã Holland aconselhou as irmãs a serem mais compreensivas com os maridos e a lembrar que, vivendo o evangelho em suas vidas, seus casamentos serão melhores. Ela aconselhou os casais a se perdoarem e seguirem adiante. Irmã Holland também ensinou os casais a não terem medo de trazer filhos ao mundo, porque os filhos são bênçãos de Deus por toda a eternidade.

Assista ao devocional aqui.

Fonte: Sala de Prensa Peru

Siga-me!

Compartilhe!